Quarta-feira, 30 de Junho de 2010
MATINAS

 

  

Rita e Lina. Ajudem-nas a ajudar os seus amigos órfãos de Bulenga, aqui!

 

 

" O mais valioso não é o que se TEM na VIDA , mas QUEM se tem na VIDA."

Bem hajam pelo bem que fazem a quem tanto precisa e nada têm....

ADMIRO-VOS MUITO.

Estou a ouvir na Antena 1 A RITA COLAÇO.....

Estou sem PALAVRAS.

DEUS dá-nos em dobro tudo o que nós damos com o CORAÇÂO.

Ainda sonho um dia fazer voluntariado......dar um sorriso....um mimo.....um colinho......um pão.....um pião....um avião......

O CORAÇÃO.

 

ESTOU CONVOSCO.

 

Maria Manuela Conceição Lopes

 

________________________

 

NR

 

Tal como a Maria Manuela, que não conheço, mas a quem agradeço, ESTOU, ESTIVE SEM PALAVRAS. Faço das suas palavras a minha oração matinal de hoje.

Obrigado,bom Deus, pelos filhos que nos Deste!

 

 

Obrigado, Maria Manuela.

 

2

Obrigado, Jorge, pela condução de mais esta "clara" emissão! Ficámos todos um pouco mais com África no Coração!

 

antónio colaço



publicado por animo às 08:27
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 29 de Junho de 2010
TORNAR CLARA A NOITE.LOGO, DA MEIA NOITE ÀS DUAS, DEPOIS DO PORTUGAL ESPANHA!

 

A Ritinha recebe logo às 15H, na AMI, a Menção Honrosa conquistada pelo seu trabalho sobre Bulenga, Uganda.

 

Mas depois,  da meia noite às duas, na Antena 1 (95.7 FM), a jornalista Rita Colaço é a convidada de Jorge Afonso.

Uma conversa que vai decorrer já depois do Portugal-Espanha!

Como diz o Jorge, todos os dias, "para tornar a noite clara como o dia", esperamos que o ambiente fique ainda mais claro depois de uma retumbante vitória sobre os espanhóis!

A Ritinha vai ajudar, sem dúvida, mesmo que as coisas corram mal para Portugal!

 

O meu prognóstico: 4-1 para Portugal! E o Ronaldo marca 3!!!!

antónio colaço 



publicado por animo às 13:48
link do post | comentar | favorito
|

SEGUNDA TENTATIVA PARA EDITAR HORTÊNSIAS E O ESPLENDOR DELAS

Esvaziado o tanque , Que desplante ! Um lamaçal Tão enojante Como desencorajante !

Tu és Capaz , Rapaz ! Saíam , Escovas , Vassouras, esfregões e pás !

Uma tarde inteira parágrafo desfrutar Este Instante . Até o sol posto com gosto Assistida .

Em tarde de caloria ,debruçumdums sobre ums águums, UmHortênsias s de alegria.

antónio colaço

 

 



publicado por animo às 11:58
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS

 

Obrigado pelas partidas que o Sapo nos prega. Pela ansiedade na construção de um texto que no instante de um clic se apaga por completo.E tu a pensar no estilo, incapaz de reagir, sereno, ao estalo.

Hortênsias, para longe todas as tensões, ao pé de vós, fiquem serenos, esplendorosos e frescos, os nossos magoados corações.

antónio colaço



publicado por animo às 11:49
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 28 de Junho de 2010
WEBANGELHO DE FREI BENTO DOMINGUES

 Frei Bento Domingues

 

In Público, 27 Junho

 

“A ciência põe em evidência três dimensões que apontam para Deus”

 

Uma confiante peregrinação da razão 

 

Os editores da Economist publicaram, no ano

passado, um livro volumoso sobre política e

religião na batalha pela modernidade – já traduzido

em português – O Regresso de Deus, com

um subtítulo apelativo: Como o regresso da fé

está a mudar o mundo (1).

Acerca desse regresso uns dirão que ainda bem, dirão

outros que é uma desgraça. Deixo isso para outra altura,

porque a própria noção de regresso da fé é confusa.

Por onde andava ela? De qualquer forma, não sei se vale

a pena ligar muito a estes títulos bombásticos. Ainda

há bem poucos anos, com algumas obras de Michel

Onfray, Richard Dawkins, Cristopher Hitchens, etc.,

parecia que iríamos ser submergidos por uma onda

de ateísmo “científico” que, afinal, se contentou em

passear de autocarro por alguns países. Irritou-se, no

entanto, com a chamada conversão de

 

 

 Anthony Flew

(1923-2010), um filósofo britânico, conhecido e respeitado,

durante várias décadas, pelo seu pensamento

ateísta, embora se considerasse um “ateu negativo”,

ao declarar que “proposições teológicas não podem

ser verificadas ou falsificadas pela experiência”. Apresentou

esta posição, em 1950, no seu clássico artigo

Theology and Falsification (Teologia e Falsifi cação),

tido como uma das referências filosóficas mais citadas

da segunda metade do século XX. Para ele, qualquer

debate fi losófi co sobre Deus pressupunha o ateísmo e

o ónus da prova de que Deus existe fi cava a cargo de

quem afi rmava a sua existência.

 

2.Na narrativa da sua conversão, Deus não existe,

explicou: “Não estava a apresentar uma

tese geral acerca de toda a crença religiosa

ou acerca de toda a linguagem religiosa. Não

pretendia dizer que os enunciados religiosos

eram destituídos de sentido. Eu simplesmente desafiei

os crentes a explicarem como devem ser entendidas as

suas afi rmações, especialmente quando defronte de informação

contraditória” (2).

Antony Flew [na foto], de facto, não parou no seu

“ateísmo negativo”. A partir de 2004, confessa: “Hoje,

acredito que o universo foi criado por uma Inteligência

infi nita. Acredito que as intricadas leis deste universo

manifestam aquilo que os cientistas chamaram a Mente

de Deus. Acredito que a vida e os processos reprodutivos

têm origem numa fonte Divina.

“Por que razão acredito nisto, eu que professei e defendi

o ateísmo por mais de meio século? A versão curta

da resposta é a seguinte: porque é esta, segundo penso,

a imagem do mundo que emergiu da ciência moderna.

A ciência põe em evidência três dimensões que apontam

para Deus. A primeira é o facto de a natureza obedecer

a leis. A segunda é a dimensão da vida, de seres inteligentemente

organizados e movidos por propósitos, que

surgiu da matéria. A terceira é a própria existência da

natureza. Mas não foi apenas a ciência que me guiou.

Também fui ajudado por um estudo renovado dos argumentos

filosóficos clássicos.

“O meu abandono do ateísmo não foi provocado por

qualquer fenómeno ou argumento novos. Ao longo das

duas últimas décadas, toda a minha estrutura de pensamento

tem estado em migração; e isto é consequência

da minha constante avaliação dos dados provindos da

natureza. Quando finalmente acabei por reconhecer a

existência de Deus, não se tratou de uma alteração de

paradigma, porque o meu paradigma permanece – aquele

que Platão atribuiu a Sócrates: Temos de seguir a razão

para onde quer que ela nos leve” (pp. 83-84).

 

3.Quando se refere às leis da natureza como pensamentos

da mente de Deus, cita Stephen Hawking

que terminara o seu best-seller, Uma Breve

História do Tempo, com esta passagem: “Todavia,

se descobrirmos uma teoria complexa, esta

deve acabar por ser compreendida não apenas por um

punhado de cientistas. Poderemos, então, todos, filósofos,

cientistas e pessoas comuns, tomar parte na discussão do

porquê da nossa existência e da do universo. Se descobrirmos

a resposta, será o triunfo máximo da razão humana,

porque nessa altura conheceremos a mente de Deus.”

Antony Flew refere que, na página anterior, Hawking

tinha perguntado: “Mesmo que haja apenas uma teoria

unificada possível, ela não passará de um conjunto de

normas e de equações. O que é que dá vida às equações e

forma o universo que elas descrevem?” Depois, foi ainda

mais longe: “A impressão esmagadora é a da existência

de uma ordem. Quanto mais sabemos sobre o universo,

mais percebemos que é governado por leis racionais.

(...) Continuamos a ter pela

frente a questão: por que

é que o universo se dá ao

trabalho de existir? Se quisermos,

podemos definir

Deus como a resposta a esta

pergunta.” Muito antes,

já Einstein tinha usado uma

linguagem semelhante (pp.

90-91).

O filósofo inglês sabia que a ciência, enquanto tal,

não pode provar ou negar a existência de Deus. A sua

descoberta do Divino não resultou de experiências

científicas ou de equações, mas de uma compreensão das

estruturas que elas revelam e mapeiam: “Volto a dizer

que a viagem da minha descoberta do Divino foi até aqui

uma peregrinação da razão. Segui a razão até onde ela

me levou. E ela levou-me a aceitar a existência de um

Ser auto-existente, imutável, imaterial, omnipotente e

omnisciente” (p.133).

Esta antologia mínima não dispensa a leitura integral

de Deus não existe.

(1) John Micklethwait/Adrian Wooldridge, O Regresso de Deus,

Quetzal, Lisboa, 2010.

(2) Anthony Flew com Roy Abraham Varghese

 

NR

Sublinhados nossos.

ac

 



publicado por animo às 11:37
link do post | comentar | favorito
|

ÂNIMOS EXALTADOS

 

Pior que um lider déspota e autoritário é o líder brando que quer estar bem com todo o mundo e não enfrenta os conflitos, o que gera desânimo e frustação na sua equipa.

 

El País Semanal, Francesc Miralles



publicado por animo às 11:34
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS

 

Obrigado, por esta água cristalina vinda do mais profundo da terra e das tão viçosas quanto vistosas hortênsias que Criaste para nos encantar!

Obrigado, pelo tanto suar, obrigado pelo sangue que , assim, nos fez mover e o tanto lixo acumulado remover.

Obrigado, por ainda nos fazeres comover!

antónio colaço



publicado por animo às 08:03
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 26 de Junho de 2010
WEBANGELHO DE ANSELMO.EM TEMPO DE CRISE POR QUE NÃO HÁ PALAVRA ILUMINANTE DOS BISPOS?

 

Pe Anselmo Borges

 

In, DN, hoje

 

CATÓLICOS E QUESTÕES FRACTURANTES

 

Dias antes da chegada de Bento XVI a Portugal, a Intercampus fez para o Rádio Clube e para a TVI uma sondagem aos portugueses em geral e aos católicos sobre várias questões, incluindo as ditas fracturantes. São os resultados dessa sondagem que gostaria hoje de comentar brevemente.

1. Quanto à interrupção voluntária da gravidez, 57, 9% dos portugueses concordam com a decisão de 2007, sendo a maioria dos católicos (54, 6%) igualmente favorável.

Julgo que seria preciso perguntar se também concordam com que as mulheres que abortam não paguem taxa moderadora e façam dois abortos num ano. Estou à vontade, pois, na altura, pronunciei-me a favor da descriminalização.

2. Quanto ao uso de contraceptivos, os portugueses são claros: 95, 8% concordam; entre os católicos, a percentagem é semelhante: 95, 4% também concordam.

Estes números deveriam obrigar a hierarquia a pensar. Precisa-se na Igreja de uma reflexão profunda para uma nova atitude face à sexualidade. Não é sustentável um discurso sobre a sexualidade baseado numa concepção exclusivamente biológica da natureza, porque o ser humano é racional e autónomo.

3. Sobre o casamento gay - na altura, o Presidente ainda poderia vetar a lei -, revelou-se que 51, 8% dos portugueses não concordam, aumentando o número para 57, 3% entre os católicos. Quanto à adopção de crianças por casais do mesmo sexo, 68, 1% responderam não; entre os católicos, 72, 8%.

Estou convicto de que se, em vez de casamento, se tivesse encontrado outra palavra, a percentagem seria diferente. Afinal, a maior parte dos portugueses manifesta a opinião de que, se não se pode tratar o igual como diferente, também não é bom tratar o diferente como igual.

4. Significativamente, 59, 7% dos inquiridos pensam que a lei portuguesa deveria permitir que doentes incuráveis e em situações clínicas dolorosas terminais possam pôr fim à vida, havendo apenas 27, 6% a não concordar com a eutanásia; a percentagem dos católicos que aceita a eutanásia é de 55, 4%.

Mais tarde ou mais cedo, esta é uma questão que será debatida. Afinal, a vida é dom e não um fardo. O próprio Thomas More, canonizado pela Igreja, levantou o problema na Utopia. Mas será necessário, em tempos de economicismo e de menosprezo pelos velhos e doentes, reflectir bem sobre todas as consequências.

5. Finalmente, a sondagem diz que os portugueses confiam, mas não a cem por cento, nos padres e bispos portugueses. Assim, 52, 7% dos inquiridos responderam que confiavam parcialmente nos padres e 49, 8% também parcialmente nos bispos. Admite-se que os escândalos de pedofilia poderão ser uma das explicações. Seja como for, a sondagem revelava que 42, 2% dos portugueses (entre os católicos, 43, 2%) achavam que o Vaticano não tinha lidado bem com a situação. Note-se que o Papa ainda não tinha tido sobre o tema o pronunciamento forte no avião, a caminho de Lisboa, nem tinha pedido expressa e publicamente perdão numa celebração solene no Vaticano.

Aqui, é necessário, em primeiro lugar, perceber que agora as pessoas são críticas e já não confiam de modo cego. Ainda bem. De qualquer modo, seria muito interessante questioná-las sobre as razões para este distanciamento. Aí, encontraríamos com certeza que reconhecem que há padres e bispos de alto coturno moral, intelectual, espiritual. Mas, depois, também viria a ladainha das queixas, mais ou menos justas. Um estilo de vida burguês e instalado, pouco conforme com o Evangelho. Padres com demasiada idade, obrigados ao ministério. Incapacidade de compreensão do mundo contemporâneo. Falta de preparação em psicologia, sociologia e mesmo teologia. Homilias gagas e vazias. Celebrações que nada têm a ver com o pedido papal para que sejam lugares de beleza. Onde está o testemunho alegre do Evangelho, uma notícia boa e felicitante? Na presente situação de crise, na qual os mais atingidos não são os ricos, porque não há uma palavra iluminante por parte dos bispos?

 

NR - Sublinhados nossos.

ac



publicado por animo às 10:06
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS

 

Salvas in extremis só pedem que lhes dê água e... um pouco de atenção. Em troca, que sedução, que volúpia feita de azul violáceo até mais não.

Obrigado.

antónio colaço



publicado por animo às 09:00
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 25 de Junho de 2010
MATINAS

 

Andar na cidade sem graça, com o coração enleado, sabendo que , no Vale, a cada hora que passa, a erva daninha grassa e as minhas hortênsias desgraça.

Um pouco mais e estarei convosco para vos libertar, arrancando o que em mim cresce, também, como erva ruim.

 

Obrigado.

Lembro-me porque Te lembras de mim!

 

antónio colaço

 

 



publicado por animo às 07:41
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 24 de Junho de 2010
VÉSPERAS II . PRATELEIRAS

 

Adoro prateleiras e as candeias que, nelas, indo à frente, alumiam duas vezes.

Nunca uma candeia às avessas poderá ter lugar  em prateleira minha que se preze.

Mil vezes o brilho e o fulgor das velhas caldeiras areadas, lado a lado com as artísticas cerâmicas dos avós herdadas.

 

Na minha prateleira, afago o vigoroso tronco do ancestral castanheiro que não pára de sussurar às chitas e seus bordados, às elegantes almotolias e aos almofarizes cansados, "agradeçamos aos nossos donos devolvendo-lhes, garbosos,a nossa alegria de permancermos de pé, recuperados!"

 

A minha prateleira é um poço de sabedoria, guardo nas cinzas das tantas memórias da minha chaminé, noites infindas de serões polvilhados de histórias sofridas mas sempre, sempre, carregadas de .

Obrigado

antónio colaço



publicado por animo às 19:30
link do post | comentar | favorito
|

VÉSPERAS . DEUS ESTÁ NO CÉREBRO?

Foto Rui Gaudêncio

Anselmo Borges:Deus não é objecto de experimentação científica"

 

DEUS ESTÁ NO CÉREBRO?

 

As neurociências são o grande continente para

o século XXI. Nisto acredita Anselmo Borges, padre

e professor de Filosofi a da Universidade de Coimbra

 

Maria João Lopes

 

 

Chegou à hora combinada a Coimbra. Tudo correu conforme o

previsto. Partiu do Porto, o carro andou, não teve nenhuma avaria,

ninguém se atravessou no caminho. Ao realçar que tudo aconteceu

como acreditámos que aconteceria, o que o sacerdote da Igreja

Católica e professor de Filosofi a da Universidade de Coimbra Anselmo

Borges nos queria dizer era que, ao contrário do que possamos pensar,

a maior parte da nossa vida passa-se no domínio da fé e não da razão.

Fé, que vem de fide, tem que ver com conf ar e acreditar. E é aí que

passamos a maior parte do dia. Claro que o carro podia ter

avariado, mil e uma coisas podiam ter acontecido. A realidade é

ambígua e, nesse caso, se não a considerássemos merecedora de

confi ança, entraria em campo a razão. Mas desta vez não foi

preciso. Fiámo-nos que o encontro iria acontecer e aconteceu, sem

alvoroços. Falámos com Anselmo Borges sobre ciência e religião,

sobre ateus e crentes. Aproveitámos a boleia de uma conferência sobre

“Fundamentalismos e intolerâncias da razão e da fé” e, no fim da sessão,

colocámos-lhe questões que ainda se prolongaram por e-mails. E

poderiam prolongar-se mais. É, que apesar dos tempos, há perguntas

que se mantêm. Uma delas é a questão entre Deus e ciência.

Ainda é pertinente? Para Anselmo Borges, sim. “Para

evitar o fundamentalismo tanto científico como religioso. Quando

a ciência pretende que tem o monopólio da racionalidade,

como se fosse a única via de conhecimento verdadeiro, cai no

fundamentalismo cientificista”, explica. Porque não é só a ciência

que tem a razão, ou razões, diz. A fé também tem: “Diria que a razão

para acreditar é fundamentalmente uma razão do sentido enquanto

sentido de todos os sentidos, isto é, do Sentido último”, diz por

e-mail, reconhecendo também existir fundamentalismo do lado da

religião, quando esta “não respeita a esfera própria da ciência e a sua

autonomia ou faz uma leitura literal dos livros sagrados”, como a Bíblia.

Mas há questões novas, deste tempo, no campo das neurociências, “o grande

continente para o século XXI”: “Hoje, por causa dos novos métodos,

como a ressonância magnética nuclear funcional,

que nos permitem observar o que se

passa no cérebro, concretamente as zonas activadas em presença das

diferentes emoções e actividades, surge a tentação do reducionismo,

no sentido de se defender que os acontecimentos espirituais não

passam de processos físicos e químicos no cérebro”, diz. Para

o docente, é “uma conclusão apressada, pois está-se a esquecer

que a realidade humana envolve biologia e cultura” e “a dimensão

cultural precisa de interpretação, para a qual não há métodos

científico-naturais”.

O ponto de Deus

Anselmo Borges sabe que há neurocientistas que se propõem

encontrar “o ponto de Deus” no cérebro e que alguns destes

estudiosos defendem que “a religião não é mais do que um produto do

cérebro, um artefacto do cérebro”. Mas aqui o padre cita o cientista

americano Andrew Newberg, que “popularizou a chamada

‘neuroteologia’”: “Ele diz mais ou menos o seguinte: se observo o

cérebro de uma monja franciscana que vive a experiência da presença

de Deus, vejo o que se passa no cérebro, mas não posso dizer se

Deus está lá e se existe ou não. Deus não é objecto de experimentação

científica”, defende o docente, que considera não haver conflito entre a

Igreja e os avanços científicos. Então, em que acreditar? No Big

Bang? Na teoria da evolução das espécies? No Génesis? Em Adão e

Eva? Para Anselmo Borges, pode acreditar-se tanto nas teorias científicas

como nas religiosas. A ciência explica-lhe o como, a

religião o porquê. Claro que, no quadro da ciência actual, aceito o

Big Bang e a teoria da evolução. Também aceito, mas numa leitura crítica,

o mito do Génesis e de Adão e Eva. Repare: numa leitura crítica. É preciso

entender que os livros sagrados não são livros de ciência, mas livros

religiosos”, nota, acrescentando que a intenção destas obras não é

ensinar ciência, mas o caminho da “relação com Deus”.

A ciência explica “como funciona o mundo”, mas o padre continua

a sentir-se insatisfeito. Há mais para perceber. “A ciência não pode

responder às perguntas: por que há algo e não nada? Qual o sentido

último da minha vida, da história e do mundo?”, questiona. E é aqui

que pode “aparecer a religião”, que “não pode ser cega nem irracional e

tem de dar razões”. Porque “a revelação não cai do

céu”. Nem Deus “faz ditados, nem fala directamente com ninguém”:

“A revelação de Deus é sempre indirecta, através do cosmos e da

história”, defende. E a fé, “uma entrega confiante ao mistério de

Deus, com razões”, “não exclui a dúvida”.

Anselmo Borges até está “de acordo” com o filósofo ateu André

Comte-Sponville, para quem um ateu que diz saber que Deus

não existe, “antes de ateu, é um imbecil, como é igualmente imbecil

o crente” que diz saber que Deus existe. “O ateu só pode dizer, e tem

razões para isso, que crê que Deus não existe, como o crente só pode

dizer, e tem razões para isso, que crê que Deus existe”, defende o

padre. E sublinha a diferença entre saber e crer.

 

In Público, P2,Sábado 19 Junho 2010.

 



publicado por animo às 18:00
link do post | comentar | favorito
|

LUIS PATRÍCIO JÁ TEM BLOG! DROGA, PARA QUE SE SAIBA!

 

Estimado/a   Amigo/a

Estimado/a  Colega

 

Aceite a minha saudação de respeito e estima.

 

Desculpe-me pelo eventual abuso de enviar esta mensagem e-mail, mas o facto de em alguma vez ter colaborado, ajudando em algumas das nossas iniciativas, permite-me esta abordagem feita de forma menos elegante, em série e menos pessoal.

 

Se tiver uma resposta sua, certamente que a minha próxima mensagem será personalizada.

 

Continuo a trabalhar na promoção da Saúde Mental,  tratando pessoas doentes e procurando honrar o trabalho dos profissionais intervenientes em patologias aditivas e comorbilidades associadas.

 

Continuo a fazer formação com o que estudo e aprendo, e continuo a promover a Mala da Prevenção que criei.

 

Continuo a procurar estimular a partilha do conhecimento que envolva os profissionais portugueses e estrangeiros.

 

Continuo a fazer movimento para que intervenientes portugueses possam partilhar a sua experiência com outros colegas da Europa e de fora da Europa.

 

Trabalhando, continuo a estar com a minha liberdade, onde sou aceite ou para onde sou convidado.

 

Nos últimos dois anos tenho andado bastante por fora, e como habitualmente sempre que possível criando condições para que outros colegas também saiam.

 

Disso, de outros temas, e de reflexões, pretendo gradualmente fazer algum relato para partilhar.

 

Argel, Madrid, Cabo Verde, Lima, Quito, La Paz, Bogotá, Caracas, foram locais de onde recebi convites e onde tive a possibilidade de partilhar um pouco do que muitos de nós fazemos.

 

Em Abril passado fomos muitos, algumas dezenas, os profissionais portugueses presentes nas Jornadas Nacionais de Socidrogalcohol, em Oviedo, onde os nossos colegas, verdadeiros amigos e "velhos" companheiros de percurso, continuaram a responder sim ao nosso pedido/sugestão de haver inscrições mais favoráveis para nós portugueses.

 

Estas atitudes que venho assumindo desde há muitos anos, para fora e para dentro, sempre se revelaram um contributo para o aumento da partilha. Em mais de 22 anos pude contribuir para que fossem efectuadas largas centenas de participações de portugueses em encontros internacionais.

Por isso sempre me reconheci agradecido aos que, em boa verdade sem hipocrisia e respeitando valores éticos, são amigos que nos ajudam, concretizando factos nobres: a possibilidade de aprender mais a apossibilidade de partilhar o conhecimento e a experiência.

 

Tal como em anos anteriores, felizmente os laboratórios Janshen e MSD continuaram a apoiar a ida de muitos profissionais às iniciativas dos nossos colegas de Socidrogalcohol e de outras associações técnicas e cientificas credíveis.

 

No final de Maio decorreu mais uma edição do EUROPAD, agora em Zagreb, e onde, com a colaboração de colegas, apresentei reflexões sobre o nosso trabalho. Também alguns estiveram presentes, apoiados pela MSD.

 

Este mês aconteceu a Universidade de Verão T3EUK em Londres.

Também este mês aconteceu, para jovens Médicos Internos de Psiquiatria, uma animada formação de 4 horas, no Serviço de Psiquiatria do Hospital de Viana do Castelo.

E também aconteceu o VII  Colóquio Internacional de Esquizofrenia do Porto.

 

Beneficiando do direito à informação independente e livre que a net nos faculta, decidi criar o blog Droga para que saiba.

 

http://www.drogaparaquesaiba.blogspot.com/

 

Se desejar faça o favor de ir lendo, comentando /colaborando e divulgando.

 

Das iniciativas que tenho promovido ou ajudado a promover (e divulgar)  desde há dezenas de anos em Portugal e fora do país, e daquelas em que pude participar como convidado,  guardo centenas de fotos e relatos de actividades em que muitos colegas e amigos participaram .

 

Estou a organizar essas memórias.

O 1º dvd MEMÓRIAS foi apresentado e destribuído em Fr, em Maio passado, por ocasião dos 33 anos do SATO Picardie. Nestas celebrações estiveram presentes mais de 30 portugueses.

 

Se for o caso, será que posso colocar no blog, na secção Memórias,  a sua fotografia, em alguma reunião, seminário ou encontro,  ocorrido entre 1987 e 2010 , em Portugal ou no estrangeiro, e em que, pela sua participação amiga estivemos juntos?

 

Porque a memória existe e a gratidão tem que continuar a ser exercida, coloco a fotografia desde que me responda favoravelmente.

 

Muito obrigado pelo tempo que dispensou a ler esta mensagem

 

Aceite a minha estima

Bem haja

 

Luis Patrício

_________________________________________

 

NR

 

 

Luis Patrício, o primeiro à esquerda da última fila, num almoço no restaurante Casa Velha, em Mação, dos nascidos em 1952. Tendo nascido em Gavião, o meu obrigado aos maçanicos que, assim, me abriram as portas a uma convivencialidade sem fronteiras. Ou de como tenho o privilégio da amizade de Luís Patrício e de, assim, me associar a mais este seu gesto de dádiva à Comunidade numa área tão sensível como a da saúde mental!

Força, Luis!!Conta connosco!

antónio colaço

 



publicado por animo às 12:24
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

MATINAS

 



publicado por animo às 12:18
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 23 de Junho de 2010
S.JOÃO FRANCISCANO EM.... 12 SEGUNDOS DE ANIMADA REINAÇÃO!!!
Agostinho Vaz ou a reinação franciscana - fomos cúmplices de uma obediência, pobreza e castidade professadas durante alguns inesquecíveis anos nos conventos capuchinhos de Barcelos e Porto !!!  - e que aqui dá uma ajudinha ao S.João! Obrigado, "Vazigo" por estes doze segundos que valem por uma estonteante e inteirinha noite deambulando pelas ruas do nosso saudoso Porto Capuchinho!
antónio colaço


publicado por animo às 20:17
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

MINISTRO CAPOULAS SANTOS ...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

CARDIGOS, AS CEREJAS E O ...

trip - ir a mundos onde n...

´WEBANGELHO SEGUNDO ANSEL...

ANDRÉS QUEIRUGA EM PORTUG...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

ANDRÉS TORRES QUEIRUGA EM...

PE ANSELMO BORGES SOMA E ...

SEARAS ESCOLA DE VIDA

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

SIM AO CREDO DOS VALORES

SUBSTITUIMOS O CREDO DOS ...

HOJE, TODOS À GULBENKIAN ...

QUARENTA E TRÊS . FAZER O...

PE ANSELMO AO ATAQUE NA D...

PE ANSELMO BORGES AO ATAQ...

MÁSCARAS, INFERNO E OS BU...

ÂNIMO . TRINTA E OITO ANO...

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

tags

todas as tags

links









































































































































































































subscrever feeds