Domingo, 31 de Outubro de 2010
VÉSPERAS

 

MAÇÃO, há instantes.

 

"Os mortos são os finados. Na morte, chega-se ao fim. Que fim é esse? Esse fim com que é que confina? Com o nada enquanto termo de tudo ou aquele nada que é ocultação da Realidade primeiríssima que a tudo dá sentido, sentido último e salvação e onde por fim seremos nós?"

 

Estas iluminadas palavras de Anselmo Borges parecem fazer mais sentido nestes dias, e por aqui bem perto do Princípio e....do fim terreno, só isso, dos nossos mais queridos que amanhã visitaremos no cemitério.

Mas é bom saber que o apelo pela quase semanal vinda até estas terras, mais não é que um continuado estar próximo daqueles que um dia aqui nos tiveram, como se nunca tivessem partido,tão forte e estimulante é a sua Presença.

Obrigado, queridos Pais, e todos os outros familiares.

antónio colaço

 



publicado por animo às 19:45
link do post | comentar | favorito
|

PORQUE HOJE É DOMINGO

 

Chove.Pequenos riachos dão-nos os bons dias!

 

 

O páteo reserva uma surpresa que ainda não sabemos. 

 

 

Micas resolveu passar a noite ao relento!Valeu-lhe a enorme talha onde se terá abrigado.Depois de lavada, o quentinho da lareira para retemperar...o felino ânimo!

 

 

 

 

Mãos amigas, romãs antigas para apetites sempre renovados!Obrigado, Júlio!

 

 

Uma chuva de prata na filigrana dos telhados e beirais.

 

 

Apenas a continuada chuva se senta à mesa da varanda de tantas estivais conversas.

E nem ao sol apetece despir o seu quentinho casaco

de outono.

 

 

A lareira volta a dizer presente.Só ela congrega e aconchega tanta gente, os tantos amigos que aqui se demoram....

 

 

...e nos surpreendem com as suas ofertas, para adocicar as muitas e prolongadas conversas.

 

antónio colaço



publicado por animo às 19:44
link do post | comentar | favorito
|

FEIRA DOS SANTOS EM MAÇÃO:"DAQUI NÃO SAIO, DAQUI NINGUÉM ME TIRA!!!"

Mação.12 horas de Domingo.

 

Esta carrinha continua desde há dois dias em "transgressão".Quem fecha os olhos a quê?!Mais à frente, uma outra carrinha, já conhecida de todos os eleitores em marés eleitorais.

O presidente-empresário de Mação marca, assim, o território dos "terrados" da feira dos Santos nas imediações das suas lojas!

Bonito exemplo de quem quer estimular a....salutar concorrência, sobretudo para aqueles que aqui querem vir investir!!!

 

Daqui não saio, daqui ninguém me tira!!!!

Ou, como amanhã se verá..."dá Deus nozes...."

antónio colaço



publicado por animo às 19:43
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 30 de Outubro de 2010
VÉSPERAS

MAÇÃO, há instantes.

 

aguarda edição

 



publicado por animo às 22:48
link do post | comentar | favorito
|

ENTRE MAÇÃO E ABRANTES....

 

Repare naquela carrinha estacionada em plena curva...mais palavras para quê?

O problema já nem é a falta de decoro e ética do presidente da autarquia e sim a silenciosa banalização a coberto da qual a inoperante Justiça que temos tudo consente.

Tudo, quer dizer, mas não a todos.

 

 

Depois de deixar na Galeria Municipal o conjunto dos trabalhos com que participo na Colectiva que junta abrantinos e amigos de Abrantes, creio,o regresso a Mação deixando-me surpreender pela Grande Torre de Abrantes que tarda em ser iluminada como merece, com toda uma A23 a seus pés, quem sabe a convidar para um pequeno desvio até ao interior da cidade?!

Velhas sugestões, nada mais.

 

 

No momento em que passo pela Capela de Sant'ana, a precisar de uma caiadela,ignoro, de todo, que a RTP está a transmitir em directo de Abrantes.

 

 

É em Mação que dou por dois ou três rostos conhecidos, do meu tempo, o António Maia à cabeça - que eu conheci nos autocrosses!!!- e que agora me surpreende nas populares cantorias!!!Parabéns, António!

 

 

 

 

Novos rostos, novos protagonistas e Abrantes lá segue, adocicada, na sua Feira de Doçaria. 

De que outra maneira se fariam os dias?

 

Já foi tempo de fazer todas as perguntas e para elas, ao tempo, no meu tempo, encontrar as respostas de que fomos capazes.

Nas rádios livres, no autocrosse, na animação cultural, na defesa do património, ficaram rastos, descobrimos rostos.

Sobrevivem, ainda, alguns restos?....

 

antónio colaço

 



publicado por animo às 22:48
link do post | comentar | favorito
|

WEBANGELHO DE ANSELMO BORGES

PE ANSELMO BORGES

IN DN HOJE 

 

OS FINADOS

 

Característica essencial do nosso tempo é fazer da morte tabu, talvez o último tabu. Nunca tinha acontecido na história da humanidade.

De qualquer modo, as nossas sociedades ainda mantêm dois dias por ano (1 e 2 de Novembro) em que permitem a visita dos mortos. Os cemitérios enchem-se e as pessoas ali estão ou por ali andam, numa recordação, talvez numa prece, num choro íntimo ou exteriorizado, e interrogando-se sobre o mistério da morte, esse mistério absolutamente opaco e laminante.

A morte põe-nos em confronto com o nada e abala-nos desde e até à raiz. Martin Heidegger foi o filósofo do século XX que levou mais fundo o pensamento sobre a morte. O homem é o ser da possibilidade, o existente para quem no seu ser a questão é esse mesmo ser, isto é, a quem o seu ser é dado como tarefa, como poder ser. Ora, a morte é a sua possibilidade "mais própria", pois é a que mais o caracteriza, "irreferível", pois corta a relação com tudo o resto, remetendo-o para si próprio, "intranscendível", pois, enquanto possibilidade da impossibilidade, é a possibilidade extrema, a que se não pode escapar. A tentação permanente é distrair-se e não assumir a morte como essa possibilidade mais própria, irreferível e intranscendível, escapando-lhe pelo palavreado, pelo recurso ao "toda a gente morre", mas não propriamente eu. O homem cai então no esquecimento de si mesmo e perde-se numa existência inautêntica.

Frente à morte, debatemo-nos com paradoxos, que o filósofo Gabriel Amengual sintetizou.

Não é afinal a morte a coisa mais natural? Todo o animal perece. Mas a questão é que a morte humana não é redutível a um facto meramente biológico. Porque a morte afecta a pessoa enquanto tal, um quem, não um algo, alguém. "Ai que me roubam o meu eu!", clamava Unamuno perante a morte.

Há uma imensa variedade de mortes: uns morrem de velhice, outros de doença, outros de morte súbita, morre-se na guerra, num terramoto, num acidente... Mas há algo de comum nesta variedade: algo de enigmático, misterioso e indefinível se passa. É "o mais enigmático e ao mesmo tempo o mais sério, o sério por excelência, pelo seu carácter definitivo, irrepetível, irrevogável". Sobre a morte não temos nenhum poder, é ela que chega e comanda, iniludível e irremediavelmente. E todos morremos, mas a morte é sempre única e singular: cada um morre a sua própria morte.

A morte é o mais próprio do ser humano, mas, ao mesmo tempo, o mais estranho. Por isso, Freud escreveu que, "no fundo, ninguém crê na sua própria morte, ou, o que é o mesmo, no inconsciente todos nós estamos convencidos da nossa imortalidade". A minha morte é para mim inconcebível: ninguém pode conceber-se morto.

Todos sabemos que havemos de morrer. Mas este saber é um saber enigmático e especial: é sobretudo com a idade que nos apercebemos de que a passagem do tempo é inexorável e tem um limite para cada um.

A morte é o que temos de mais certo e ao mesmo tempo de mais incerto: não sabemos onde nem quando nem como morreremos. Outra vez: ela é o mais conhecido e ao mesmo tempo o mais desconhecido: ninguém sabe o que é morrer nem o que é estar morto.

Morremos porque somos corpóreos, mas quem morre é o homem. A morte afecta o homem todo. Daí, a pergunta inelutável: como é que alguém, uma dignidade, se pode tornar ninguém, coisa que apodrece?

E aqui está o paradoxo mais radical. Como seres históricos, na tarefa de nos fazermos, só no fim poderemos, como totalidade, dizer o que somos. Mas precisamente aí, pela morte, deixamos de ser neste mundo. Quem nos diz então o que verdadeiramente somos?

Os mortos são os finados. Na morte, chega-se ao fim. Que fim é esse? Esse fim com que é que confina? Com o nada enquanto termo de tudo ou aquele nada que é ocultação da Realidade primeiríssima que a tudo dá sentido, sentido último e salvação e onde por fim seremos nós?

 



publicado por animo às 09:30
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS

Mação, esta manhã.

 

Bom dia, Irmã Chuva.Tinha saudades de ver-te correr pelhos telhados e beirais, desenhando pequenos rios pela calçada,ouvindo ais se te precipitas em excesso, obrigado.

antónio colaço



publicado por animo às 09:27
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010
VÉSPERAS ( COM BOLINHOS DOS SANTOS E OUTROS DOCES MAIS AMARGOS DENTRO!)

VÉSPERAS

 

Mação.

 

É bom o regresso ao aconchego da lareira, ao ritual dos bolinhos entrando pela madrugada.

Obrigado.

 

BOLINHOS, BOLINHOS!

 

 

 

 

 

 

Mais um ano e a tradição a cumprir-se!Faça favor de servir-se, amigo leitor.

 

_______________________________________________________________

 

 

1952 A LOJA DOS TREZENTOS,PERDÃO, DOS TALENTOS.CONCLUSÃO

 

A caminho da Galeria Municipal de Abrantes e à espera do texto final que enquadre o conjunto dos trabalhos apresentados a esta exposição colectiva em pequeno formato.

Uma ideia a ser desenvolvida:

-Porquê 1952?!

De facto, o autor, viveu no passado 11 de Setembro, o seu segundo 15 de Janeiro de 1952. Ter sobrevivido a um acidente na A1 nas condições em que tal aconteceu só pode significar uma palavra:1952, recomeçar!

Estes são os primeiros trabalhos desta segunda oportunidade!

A melho forma de agradecer é criar!

 

 

 

Alguns amigos questionam esta, como dizer, transparência de processos que me faz abrir aos leitores o meu "metro quadrado" de atelier.

Há apenas um argumento que, confesso,mexe um pouquinho comigo e que se refere ao risco de banalização destruindo a capacidade de surpresa por parte do próprio espectador.

Ou seja, algumas pessoas podem dizer, "já lá não ponho os pés, na Exposição, pois já vi tudo!!".

Mesmo assim, prefiro correr este risco, partilhando com os meus amigos as dores do parto das cores, formas ou simples esboços, quando as ideias começam a tomar conta dos nossos esforços!!

Idealismo ou não, quem gosta de arte não abdica de tomar contacto visual com as peças, ao vivo,quase táctil, digamos,apreciando todas as componentes em jogo. Mais, tendo visto o caminho que aquela obra percorreu para ali chegar, acredito que este contributo da net pode acrescentar algo mais sobre a identidade do objecto que, a partir desse momento de exposição, como que deixou de pertencer ao domínio criativo do seu autor!

 

As imagens que se seguem são as de uma peça de que, por ora, nada mais quero adiantar!

Apenas este significativo pormenor:

-A pedra que serve de suporte é uma verdadeira pedra da Calçada da Ajuda, atirada, como tantas outras, para as bordas da dita.Ou seja, não me parece ter cometido um crime - não fui lá arrancá-la!!!- como aquele que ela pretende denunciar e sim contribuir para uma genuína pedrada no charco do deixa andar dos nossos dias e do consagrado amor às nossas cidades, no caso, Abrantes, que " logra do Tejo as águas abundantes", Camões dixit!

 

TÍTULO DA OBRA:

 

UMA PEDRA NO SAPATO, PERDÃO, NO CONVENTO

 

30x24

Acrílico com colagem pedra,caixas madeira e caixa vidro acrílico

 

 

 

 

 

 

 

Costumo dizer que não vivo para pintar, pinto porque vivo!

Para além da dimensão estética que uma obra de arte pode e deve cumprir, acredito, cada vez mais, que também pode e deve cumprir uma dimensão de participação activa na cidadania que nos assiste.

Esta peça cumpre esses objectivos.

Os abrantinos que me conhecem sabem o que penso do projecto aprovado para a construção do Museu de Arte Ibérica, da autoria do consagradíssimo Carrilho da Graça, pessoa que não conheço, e cujos méritos da obra enalteço, por exemplo, no projecto de recuperação, exemplar, de um prédio na Calçada do Combro, que durante muitos anos calcorreei.

Nada me move contra a existência do Museu, era o que faltava, e sim contra a mastodôntica opção de Carrilho, a quem, continuadamente, desafio para que nos brinde com um projecto desenvolvido em socalco, desfrutando da soberba paisagem sobre o Tejo!

Todos temos os nossos dias, claro, e o professor não terá estado nos seus melhores dias quando nos "prendou" com aquele pedregulho que aí vem.

É o meu despretensioso contributo, como cidadão, não natural de Abrantes, mas com um amor a Abrantes que não consente "pedradas" destas no magoado coração da sua amada cidade!

 

 

E pronto, ala que se faz tarde, a caminho da Galeria Municipal!

Ah!Há mais uma obra, ainda de pequeno fomato: um...abano,artisticamente pintado!!!

Esse é para ver lá na Galeria!!!!

O quê, já chega de abanos?!

Mauzinho!!!!

 

antónio colaço

 

 

 



publicado por animo às 10:27
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS

 

Obrigado, por estas nuvens e pela Luz do sol que sei e sinto para além delas.Veio d'Ele a primeira Iluminação para este novo dia.

A minha alma está, agora, mais leve para retomar o caminho.

A viagem é longa, nunca duvidei e muitos são os perigos que espreitam, o pior deles, imaginar saber-me sem Ti, quando Tu estás sempre presente.Apesar das nuvens.

 

antónio colaço



publicado por animo às 08:43
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010
1952.LOJA DOS TREZENTOS,PERDÃO, DOS TALENTOS (II)

"O homem sonha, Deus quer e a obra nasce"....

 

Directamente do meu "metro quadrado" de atelier, senhoras e senhores...

 

A CANTATA NA CATEDRAL

 

24x30

Acrílico c colagem anjos,gaiolas

 

 

E ainda....

 

 

A ARMADA INVENCÍVEL

 

24x30

Acrílico, com colagem, barcos,pedras.

 

aguarda edição de texto

 

antónio colaço



publicado por animo às 18:13
link do post | comentar | favorito
|

LISBOAS

Lisboa. Museu dos Coches, há instantes.

 

 

O REF sai por instantes, na cabeça, as ideias agigantam-se e crescem, vertiginosas. em seus tantos andaimes!

-Andai-me depressa, ideias, quero chegar ao alto, Coche de mim, num instante!

 

 

Sobe que sobe as pedras da Calçada....

 

-Pedras?!Alguém disse P-E-D-R-A-S?!Mas...é isso mesmo que faltava para fechar o projecto "1952 - LOJA DOS TREZENTOS,perdão, dos TALENTOS"!!!Pedra, Calçada da...Ajuda, ajudar, ajudar Abrantes....Ó bom Deus, Obrigado!!!!

 

 

E REF regressa, pressuroso, para o seu "metro quadrado"....não há tempo a perder!

A "MA(L)QUE(RER)TE-UMA PEDRA NO SAPATO, perdão, NO CONVENTO" está em velocidade cruzeiro de finalização.

 

REF acaba de decidir levantar uma, mas só uma mesmo, pontinha do véu:

 

 

Ó, balha-me Deus!

Deus te abençoes, querida pedrada, perdão, pedra! 

 

Para amenizar, da madrugada de REF, mais alguma cor...

 

 

 

 

 

Joaninha, voa, voa, que o teu pai está em Lisboa.... a pintar, a emoldurar....

 

As caixinhas de madeira (não, não têm chocolates dentro, mas podem ter se quiser oferecer no dia dos anos - compondo com os números equivalentes ao aniversário, "tá a ver"?!Sim, o REF aceita encomendas para ilustrar por mail!!!(uau!combater a crise que aí vem e que ataca bem nos REFs deste país!!!) levaram mais um banho que acentua o contraste "compositivo"!!!Tomém lá!

 

 

Dado que a colectiva de 13 de Novembro, na Galeria Municipal de Abrantes aceita escultura, dentro do formato, A4, base, a caminho vai esta "FAMÍLIA" com o seu T2!!!

 

 

antónio colaço

 

PS

1.Respondendo a algumas perguntas, o autor adianta que vai surpreender com os preços em Abrantes!

O quê?! Tudo a 1€?!Por amor de Deus, vamos lá a ver!Estamos a falar de "A-R-T-E", quer dizer, e o artista é um bom artista, atenção.

Mas...emocionado com o desvelo do Prof Anibal que não vai gastar um cêntimo em outdoors, o artista resolveu seguir o exemplo e, à sua maneira, alerta que, à excepção desta esculturinha, os preços vão surpreender!!!!

 

É pracabar, ó freguês!!!! 

 

2.O artista pede a todos os seus amigos que não se macem a enviar comentários.Não habia nexexidade e o tempo faz falta a todos sobretudo aqueles que têm maior responsabilidade na condução em segurança dos dias de todos nós, seja a negociar o OE, a tratar de conseguir a sua aprovação, e, bem assim, a todos os que tudo fazem para o contrariar, refiro-me aos meus amigos da oposição, sim, que também os lá tenho, e muitosmas, a todos os que de uma maneira ou de outra, por comentário, por sms, por email, por tlm, têm dado o seu apoio, muito OBRIGADO!



publicado por animo às 14:00
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS

 

Ficou o vermelho das romãs para dizer de ti, Irmão Sol. Será que é igual à nossa a melancolia que sentes por não nos revelares o dia com todo o seu esplendor?

Junta-te a mim, façamos uma dança em redor das pesadas nuvens,vê,cederam ao nosso vigor,abriram uma pequena fresta, façamos a grande Festa ao nosso Criador!

Obrigado.

antónio colaço



publicado por animo às 13:59
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010
1952.LOJA DOS TREZENTOS,PERDÃO, DOS TALENTOS

 

O REF deixou o projecto LISBOAS em paz.REF deixou de incomodar quem quer que seja e aceitou, agora, ser incomodado pelos esboços, pelas colas, pelos acrílicos, pelas espátulas e pelos pincéis, seus derradeiros e fiéis amigos. No silêncio do seu "metro quadrado", como dizia Nadir Afonso, REF tece cores, tece ideias como quem esquece dores e só apronta fulgores. O 13 de Novembro, em Abrantes, é já agora.

Vamos embora!

 

 

 

 

Cantata na Catedral...

 

 

....e as cores tomam conta dos anjos tocadores.

 

 

Pedras, preciosas para todos!

 

 

Pescadores da Barca Bela, a Invencível Armada, estão quase a desembarcar no areal.

 

antónio colaço



publicado por animo às 22:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

MATINAS (II)

 

Todos os dias, mesmo que por vezes não pareça, cada manhã, cada nascer do sol, único e irrepetível.

Obrigado por continuar a maravilhar-me com a Tua obra, todos os dias, até ao dia da Maravilha das maravilhas.

 

antónio colaço



publicado por animo às 07:59
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS (COM TERÇA-FEIRA DENTRO!!!)

 

Umas verdadeiras matinas quando a Lua ainda persiste ficar acordada!

Tudo porque o animador de serviço empenhado na frente artística, como se verá, já não conseguiu chegar a tempo de...cumprir Terça-feira por inteiro, aqui!

Mas...houve

 

TERÇA FEIRA

 

 

Takeo insiste em sentir por mim quando lhe digo que ainda sinto dormência na ciática perna..."ma eu yja no sinto!!"

Quando lhe contei da maquineta que me puseram nas mãos para dormir e do susto que tal provocou, Takeo despediu-se com um "vou levar a sua ficha para estudar em casa!Vamos acabar com essas apneias!!!

 

 

A terça de REF começou logo pela manhã - depois de mostrar aos companheiros de maleitas na fisioterapia de Monsanto a viatura que finalmente substituiu a fatídica Xsara Break, um simpático C5 velhinho, muito estimadinho e que, com juizinho, poderá durar mais uns aninhos - a caminho de uma das lojas chinesas das redondezas da Capital.

Admiradíssimos, os donos da loja viram REF simular aquela que será a sua participação na Colectiva do pequeno formato que juntará 13 artistas plásticos, na Galeria Municipal de Abrantes, no dia ....13 de Novembro.

 

O projecto vai chamar-se "1952.Loja dos Trezentos, perdão, Talentos!!!"

Pretende ser uma homenagem a todos os que criam pequenos utensílios, vindo, assim, em nosso auxílio, nós os artistas plásticos sem inspiração, que nada mais fazemos do que atribuir uma outra intenção, chamar uma outra atenção, para um outro lado que permanece ignorado!

Será esta a imagem que vai constar do Catálogo, fixando os objectos em estado bruto, dentro, apenas e tão só, das telas que os vão acolher, numa evolução que, uma vez  mais, em directo do atelier queremos partilhar!

 

Fazendo parte de um todo, cada peça terá o seu significado próprio. O ano de 1952, parece óbvio, mas aquelas caixas em números, são o máximo!O artista, no caso, o artista REF, quer estar à altura da picassiana metamorfose a operar!!!

 

 

 

 

 

 

antónio colaço

 



publicado por animo às 01:06
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

PE ANSELMO BORGES NÃO TE...

MINISTRO CAPOULAS SANTOS ...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

CARDIGOS, AS CEREJAS E O ...

trip - ir a mundos onde n...

´WEBANGELHO SEGUNDO ANSEL...

ANDRÉS QUEIRUGA EM PORTUG...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

ANDRÉS TORRES QUEIRUGA EM...

PE ANSELMO BORGES SOMA E ...

SEARAS ESCOLA DE VIDA

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

SIM AO CREDO DOS VALORES

SUBSTITUIMOS O CREDO DOS ...

HOJE, TODOS À GULBENKIAN ...

QUARENTA E TRÊS . FAZER O...

PE ANSELMO AO ATAQUE NA D...

PE ANSELMO BORGES AO ATAQ...

MÁSCARAS, INFERNO E OS BU...

arquivos

Outubro 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

tags

todas as tags

links









































































































































































































subscrever feeds