Sábado, 30 de Novembro de 2013
BRINCAR É PRECISO. ADQUIRIR NÃO É PRECISO

 

 

 Francisco estreou-se esta tarde no "CARROUSSEL-1900", em Alcochete.Cavalinho, cavalinho!!!!Mas...esta imagem terá uma outra leitura a seu tempo....

 

 Ó pá, chatice!!!Mas,Vôvô, não tinhamos informação de que houvesse greve na Carris, como é?!

 

Vôvô, vê se tapas aí o preço desta bicicleta. Nem pensar...é só para experimentar!!!

 

Vôvô, diz aos teus amigos que mal saímos daquele casarão o teu neto não pensou nem reivindicou mais nada, não. É a técnica dos contra-fogos, tás a ver?! A gente passa por ali e depois, farta-se.

São brinquedos a mais para as nossas cabecinhas!!!

BRINCAR É PRECISO. ADQUIRIR NÃO É PRECISO!!!



publicado por animo às 20:49
link do post | comentar | favorito
|

O PODER DA AMIZADE

O PODER DA AMIZADE
Eu vim de longe.....
Na véspera, falei ao José Mário Branco de alguns daqueles amigos que foram decisivos para começar, nos anos 70, a abrir os olhos para outras realidades.
Eis alguns desses amigos.
Depois de Mafra, 1974..., um salto até ao Montijo para visitarem o ATELIER DE ARTES/cram/afpdm e a exposição PODERES em preparação.
O PODER da AMIZADE.
Sempre!
Regada com um encorpado tinto no POR QUE NÃO...na Frente Ribeirinha!
Obrigado!






publicado por animo às 14:18
link do post | comentar | favorito
|

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELMO BORGES


Pe Anselmo Borges

In DN

AS PERGUNTAS DO PAPA FRANCISCO 2

Embora sensível ao raciocínio de Vasco Pulido Valente, que, reflectindo, no "Público", sobre os caminhos que ficam para o Papa Francisco, concluía: "Apesar da sua imensa popularidade, e mesmo por causa dela, Francisco acabou numa velha armadilha, em que esbraceja em vão. O inquérito não o ajudará.", não creio que, desde que superemos a análise sociopolítica e nos coloquemos na perspectiva cristã, que é a sua, Francisco tenha caído numa armadilha.

Então, qual é o maior problema de Francisco? Ele é um cristão convicto. O que o move é o Evangelho enquanto notícia felicitante da parte de Deus para todos. Assim, o seu problema é que todos se convertam realmente ao Evangelho, começando pelos cardeais, continuando nos bispos e nos padres e acabando nos católicos, que devem converter-se a cristãos.

Neste sentido, não se trata de mudar o essencial da doutrina, mas de ir ao decisivo do Evangelho. Ora, o núcleo do Evangelho são as pessoas, dignas de respeito e atenção. É, pois, preciso continuar a anunciar o ideal do matrimónio cristão, mas, depois, atender às pessoas, às suas necessidades e feridas. Para isso, Francisco conta com a mediação da sensibilidade pastoral dos bispos e dos padres e dos cristãos em geral, que asseguram no concreto a aplicação do ideal.

Por outro lado, não se deve esquecer que Francisco tem uma dupla origem. Ele é ao mesmo tempo "franciscano", e, assim, humilde e próximo das pessoas, e jesuíta, portanto, com toda uma formação de procura da eficácia. Ele crê na "Igreja Povo de Deus", que é também a "santa Igreja hierárquica". Por isso, sabe consultar, no quadro de uma adelfocracia (governo de irmãos), mas também sabe que, em última instância, é a ele que compete decidir, com os outros bispos e em Igreja. Neste quadro, deixei aqui na semana passada o que me parece expectável como resultado deste inquérito, passando agora a algumas perspectivas de teor mais pessoal.

É claro que a família é uma instituição essencial, indispensável, enquanto espaço de comunhão, partilha de afectos, valorização e realização pessoal e educação das crianças. A família é a célula de base da sociedade. Mas também é claro que a pastoral familiar não pode continuar a centrar-se num catálogo de proibições e pecados, na proibição dos anticonceptivos e das relações sexuais pré-matrimoniais. O próprio Francisco já preveniu que não se pode viver obcecado com o rigorismo e o legalismo; de outro modo, "mesmo o edifício moral da Igreja corre o risco de cair como um castelo de cartas". É evidente que não vale tudo, mas a Igreja tem de reconhecer que tem tido enorme dificuldade em falar pela positiva das questões ligadas à família e ao sexo. O seu discurso nestas matérias tem de centrar-se na dignidade, liberdade, respeito e responsabilidade. Isto também significa que a valorização que se faz da família cristã não tem de ser acompanhada de ataques a outros tipos de realização e vivência de família.

Se o Papa reconhece que há também a tendência homossexual, pergunta-se se não se deve caminhar no sentido do reconhecimento do direito de actividade sexual no mesmo quadro de exigências dos heterossexuais. A adopção é diferente, pois o debate continua, mesmo entre especialistas. Embora Francisco, quando arcebispo de Buenos Aires, tenha aprovado que um casal gay adoptasse uma criança, o que significa, mais uma vez, a dialéctica entre os princípios e as pessoas na sua situação concreta.

Quanto à paternidade e maternidade responsáveis, é urgente perceber que a moral é autónoma, pertencendo, portanto, as decisões neste domínio às pessoas e aos casais, dentro da liberdade na responsabilidade.

No caso dos divorciados que voltam a casar, é claro que se exige celeridade nos processos de declaração de nulidade no casamento. Mas pergunta-se se não será necessário ir mais longe e, atendendo à fragilidade humana, invocar, como a Igreja cristã ortodoxa, o princípio da misericórdia, dando a possibilidade de outra oportunidade. Seja como for, não se pode pedir aos divorciados recasados que continuem no seu empenhamento na Igreja, mas impedindo-os da comunhão.

 



publicado por animo às 12:48
link do post | comentar | favorito
|

JERÓNIMO SOUSA . O PRÓXIMO CONVIDADO DOS AAA . 4 DEZ.13H

JERÓNIMO SOUSA
O PRÓXIMO CONVIDADO DOS AAA DE QUARTA 4 DE DEZEMBRO

Jerónimo Sousa, secretário-geral do PCP, é o próximo convidado dos AAA-Animados Almoços, uma parceria entre a ânimo e a Associação 25 de Abril.
Como de costume, a recomenda...ção para uma inscrição atempada através do 213241420.
Como repetidamente temos dito o AAA é aberto a quem queira participar independentemente de ser ou não sócio da A25Abril.
Em regra, o prato das quartas, confeccionado pela equipa de Pedro Honório, do restaurante COM-TRADIÇÃO, é o Cozido à Portuguesa (15€) mas desde a semana passada que é possível saborear, também, o Bacalhau à Brás. Para além de outros pratos pedidos na hora (13€).

2
Qual o balanço que faz Jerónimo Sousa dos 40 anos que levamos de Abril, que novos desafios se colocam a todos os portugueses nos conturbados dias que vivemos, qual o significado da celebração dos 100 anos de Álvaro Cunhal, alguns dos tópicos, entre muitos outros, para mais um animadíssimo almoço.

NR
Depois de Jerónimo Sousa, o nosso próximo convidado, a 11 de Dezembro, será Rui Rio.
antónio colaço


publicado por animo às 11:53
link do post | comentar | favorito
|

LISBOAS

Fundação Champallimaud.ontem.



publicado por animo às 11:51
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 28 de Novembro de 2013
DELGADO DA FONSECA . LÁGRMAS DE ABRIL
Coronel Delgado da Fonseca

É uma das presenças mais assíduas nos AAA o homem que está à esquerda de Hélder Costa, o histórico encenador da Barraca, e que se chama Delgado da Fonseca, coronel Delgado da Fonseca.
Ontem, na azáfama de levar o micro aos intervenientes, tomar notas e registar imagens, fiquei petrificado a ouvir o seu comovido testemunho perante um José Mário Branco - a quem o Luís Pinheiro de Almeida também já tinha descoberto rolarem duas furtivas lágrimas como refere na sua página.
De facto, Delgado da Fonseca emocionou-se ao evocar a generosa participação de José Mário Branco num espectáculo para crianças naqueles fervilhantes dias depois de ABRIL e dali não saiu.
Mas deu para todos percebermos!

Um destes dias vou pedir a este nosso amigo que me deixe contar a sua história de vida pois ela encerra uma das mais belas histórias de amor nascidas do 25 de Abril!!!
Obrigado, Delgado da Fonseca pelas suas lágrimas de ontem.
Afinal, os militares também choram, por que raio não deveriam fazê-lo?!
Em 1974 as suas lágrimas juntaram-se às lágrimas do povo que encheu as ruas para celebrar o fim das lágrimas pelas tantas mortes de uma criminosa guerra colonial.
antónio colaço

ANTÓNIO DELGADO FONSECA
VOLTAMOS A SER ILHAS....

A história que a ânimo conta acima precisa de uma precisão: o que recordei não foi uma festa qualquer mas sim a festa em que pela primeira vez em Portugal se comemorou o dia mundial da criança, em 1975, festa cuja organização coordenei enquanto responsável pelas campanhas de dinamização do MFA na região Militar do Norte.
Festa do dia mundial da criança em que juntamos no Pavilhão dos Desportos do Porto alguns milhares de crianças, não acompanhadas dos pais, e que vários cantores, músicos e artistas do palco, e entre eles Jose Mario Branco, fizeram rir, brincar e ouvir com alegria muita música e muitas histórias durante mais de 3 horas. Não perdemos nenhuma criança, nem existiu o mais pequeno acidente ou incidente.
Pena que esta festa do dia mundial da criança tenha vindo a desaparecer, como muitas outras manifestações de cultura que a revolução de Abril acendeu na vida social dos portugueses.
Por isso não me envergonho da minha emoção.
Estamos todos a voltar a ser ilhas como antes daquela madrugada ...
António Delgado Fonseca


publicado por animo às 11:09
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 27 de Novembro de 2013
JOSÉ MÁRIO BRANCO GARANTE: QUANDO EU VIR QUE TENHO SONHOS COMUNS TEREI NECESSIDADE DE DIZER COISAS NOVAS

 

JOSÉ MÁRIO BRANCO GARANTE

QUANDO EU VIR QUE TENHO SONHOS COMUNS COM OS MEUS COMPANHEIROS DA MINHA COMUNIDADE
AÍ DE CERTEZA QUE ISSO VAI PROVOCAR EM MIM
QUALQUER NECESSIDADE DE DIZER COISAS NOVAS!!!

1
Uff!Foi preciso esperar pelo final desta animadíssima conversa com José Mário Branco para, finalmente, perceber que, afinal, o Zé Mário que nos pareceu meio conformado, um Zé Mário quase "acabado", afinal se prepara para voltar a FAZER ACONTECER" tal como lhe sussurrámos quando disse que "a música não resolve problema algum, só fala do que acontece".
2
Quando vislumbrei o Zé Mário a subir a Rua da Misericórdia sem a sua viola a tiracolo, disse para comigo "bolas, não consegui convencê-lo.Lá se vai a ideia de fazer do restaurante uma espécie de Voz do Operário ou uma outra sala qualquer dos anos setenta da nossa revolta!!"
A conversa, ao almoço, a dois, indiciava um antónio colaço impotente para perceber onde começava o deslumbramento por estar diante de alguém que mexeu e muito com a sua vida (eu quis ser objector de consciência e só com a ajuda de alguns amigos e a música, entre outros, do Zé Mário, percebi a necessidade de ir lá para dentro do quartel fazer a outra guerra!) e a nova realidade de um José Mário agora com todo o tempo do mundo para aprofundar o estudo de uma gramatica dos sons, de compor para outros, como me relatou, mas nada do Zé Mário - chamei-lhe, exigindo, que fosse o Rolling Stone setentalhão de que precisamos!!!- outra vez a intervir.
3
Deparei-me, pois, até ao momento da nossa conversa final, e que vamos já ouvir, com a legitimidade da dúvida sobre até que ponto temos o direito de exigir, OUTRA VEZ, ao José Mário, que faça, por nós, o trabalho de casa que só nós temos de fazer?!
Ele diz-nos que "só falo do que acontece" e eu, chato até dizer chega, a querer dizer-lhe, "não, Zé Mário, você TEM DE AJUDAR-NOS COM A SUA MÚSICA, tal como no passado, A FAZER ACONTECER ABRIL, OUTRA VEZ"!!!
Nem de propósito, o Zé lembrou-nos uma quadra sua: "Andamos a ver se vemos/Caminho para percorrer/Entre o Abril que fizemos/E o ABRIL por se fazer!"
4
"A música dá ânimo (e virou-se para o animador de serviço!), ajuda a congregar vontades!!!"
Vejam o compromisso a que "amarramos" o Zé Mário, quase no final da conversa que se segue: queremos ser chamados para registar as COISAS NOVAS" que a muito breve prazo vai querer dizer-nos, não duvidamos!

Foi também esse o sinal da intervenção de agradecimento de Vasco Lourenço que exaltou, não só o papel de cantor que influenciou todos os militares de Abril, mas, sobretudo, do seu exemplo de cidadania activa.
Tão activa como o próprio Vasco, adiantamos nós, que, a propósito do eco das suas palavras à entrada para a Aula Magna e as propaladas "pauladas" adiantou que mantém tudo o que disse e que "agora até me sinto mais acompanhado pelo Papa Francisco!"

Obrigado, Zé Mário e....."desculpe qualquer coisinha"!
Sim, a "cantiga é sempre uma arma que tem de ser bem fabricada!"
antónio colaço

 

 

 




publicado por animo às 22:12
link do post | comentar | favorito
|

JOSÉ MARIO BRANCO. FALTA NA DECO UMA SECÇÃO DE DEFESA DO ELEITOR

Foto.Aprígio Ramalho


JOSÉ MÁRIO BRANCO
OS NOSSOS POLÍTICOS FORAM ESCOLHAS DE CONSUMO
NÃO ESCOLHAS POLÍTICAS

Falta uma secção na DECO para defesa do eleitor que se sente enganado na sua escolha de voto.
2
Estou a preparar um texto sobre o AAA de hoje que me apetece começar assim:
Mário Soares não pára de tirar da gaveta, todos os dias, o socialismo que lá meteu. José Mário Branco, para desgosto de alguns comensais, parece ter metido a viola no saco. Não a trouxe, pelo menos, como lhe sugerimos. Mas...devia?

Mais logo!!!

Algumas imagens, até lá!

antónio colaço

Miguel Ângelo, dos Delfins, ouvindo atentamente Zé Mário Branco.





Helder Costa, da Barraca, ao lado de Raul Calado e José Alberto Moniz.Vieram para abraçar o Zé Mário!


Foto Aprígio Ramalho.



publicado por animo às 19:57
link do post | comentar | favorito
|

A MÚSICA, OUTRA VEZ!!!!

 

A MÚSICA, OUTRA VEZ!

Acabámos de enviar uma mensagem ao José Mário Branco para que, se quisesse, trouxesse a sua viola para o AAA-Animado Almoço de mais logo. Todas as armas são necessárias para quebrar a insensibilidade, a insensatez, a falta de solidariedade.

Ontem, como hoje, a cantiga abre caminho para que ninguém se sinta sozinho.

Precisamos de libertar o ABRIL refém de um Abril que só a alguns convém.

 antónio colaço

 

 

 

 



publicado por animo às 00:29
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 26 de Novembro de 2013
NICOLAU SANTOS, O DIABO LENTO E A VELOZ...ISABELINHA

NICOLAU SANTOS E A LENTIDÃO DO DIABO
Nicolau Santos é um poeta levado da breca. À pala da lentidão de um Diabo que, continuadamente, o continua a tentar, lá vai arranjando tempo para a poesia - pregada com jazz à mistura nos mais diversos ...templos - ou, como no caso, editada, em livro, o terceiro, com o seu amigo António Costa Silva (que dom da palavra, santo Deus!!!). Consta que nas horas vagas, uma vez por semana se dedica à....economia.
A FNAC foi pequena para os muitos amigos do Nicolau e do António.
Pode haver melhor maneira de pecar?
Já a seguir, um rigoroso exclusivo...
 
 
NICOLAU SANTOS E A DIABÓLICA, MAS NÃO MUITO LENTA, ISABELINHA DOS OVOS!!!!
Aviso: um estranho pudor impediu-nos de chegarmos mais à frente e evitar as cabeças que aparecem nas imagens. A isso juntamos a segunda vez que recorremos à nova maquineta "galáctica". Resultado, o Nicolau merecia melhor. Mas dá para ouvir e...pensar na "lentidão" de algum "enriquecimento fácil"! Obrigado, Nicolau.
 
 


publicado por animo às 01:17
link do post | comentar | favorito
|

RAMALHO EANES E A AGUARDADA PRESENÇA NOS AAA-ANIMADOS ALMOÇOS

RAMALHO EANES E OS AAA-ANIMADOS ALMOÇOS
 A pedido de algumas famílias, aqui fica uma informação que achamos dever prestar: Tudo fizemos, na primeira série dos AAAA, para poder contar com a presença de Ramalho Eanes.
 Tal não foi possível, então, devido ao empenhamento no seu doutoramento.
Nesta segunda série dos AAA em curso, foi feito ao mais alto nível de contactos, igualmente, um convite a Ramalho Eanes para que partilhasse connosco a sua experiência de 40 anos de Abril. Na altura do convite, Ramalho Eanes preparava-se para uma intervenção cirúrgica motivo pelo qual ainda não foi possível poder contar com a sua presença.... Aguardamos, pois, que se encontrem reunidas todas as condições para que tal presença se materialize.
antónio colaço
 

 Foto. Ramalho Eanes falando (1984?) pela primeira vez para uma rádio pirata. Uma das rádios pioneiras da luta pela legalização, a então Rádio Antena Livre de Abrantes, entretanto adquirida por um conhecido grupo de media. Quatro persistentes horas atrás de Eanes durante a sua visita a Vila de Rei e o então Presidente lá acedeu falar para o redactor desta notícia naquele que foi um decisivo contributo para o acelerar do processo de legalização das rádios livres.

 



publicado por animo às 00:48
link do post | comentar | favorito
|

ALUNOS DE ARTES GRÁFICAS DA EPM VISITAM ATELIER DE ARTES/CRAM/AFPDM

 

 

 

Uma tão agradável quanto proveitosa visita dos alunos do 1º ano do Curso de Artes Gráficas, durante a tarde de ontem.  

Sob o comando da professora Dina Rocha alguns desafios ficaram colocados e a que voltaremos mais tarde

Para já, o autor destas linhas, coordenador do  ATELIER DE ARTES do CRAM/afpdm agradece a partilha de opiniões e até sugestões. De facto, a Arte não existe, a Arte somos todos nós, desde logo quando a desfrutamos e questionamos.  

Voltaremos ao assunto.  

antónio colaço

 



publicado por animo às 00:47
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 24 de Novembro de 2013
JOSÉ MÁRIO BRANCO É O CONVIDADO DOS AAA DA PRÓXIMA QUARTA FEIRA,27 NOV.13H

Por estes dias, há 40 anos, depois de Alcáçovas e Lisboa, em S.Pedro do Estoril, 24 de Novembro, e Óbidos, 1 de Dezembro, um punhado de militares continuava a tricotar o mais belo bordado que viria a vestir o Portugal maltrapilho e amordaçado que nos envergonhava aos olhos do mundo livre.

O papel da música nesse rendilhado ganhava a cada dia que passava um papel cada vez mais decisivo.

A música como que veio preparar os trilhos que as gloriosas Forças Armadas de mãos dadas com o povo acabariam por percorrer tão seguras estavam da cumplicidade dessa aliança.
Entre os muitos nomes que todos sabemos de cor, para além daqueles que já nos deixaram, Zeca e Adriano sempre connosco, José Mário Branco foi quem nos veio dizer, com palavras que o tempo está a encarregar-se de voltar a convocar para a agenda do hoje dos dias, que SE TODO O MUNDO É COMPOSTO DE MUDANÇA, TROQUEMOS-LHE AS VOLTAS QUE AINDA O DIA É UMA CRIANÇA!!!

2
Na próxima quarta-feira, no restaurante COM-TRADIÇÃO, da Associação 25 de Abril, as portas voltam a abrir-se para mais uma partilhada jornada de evocação de um ABRIL que continua REFÉM do Abril que só a alguns convém.

Inscreve-te ( 213241420 ).

antónio colaço


NOTA DA REDACÇÃO

PODEMOS INFORMAR, TAMBÉM, QUE VAMOS FAZER UMA PAUSA NOS AAA A PARTIR DE 11 DE DEZEMBRO, RETOMANDO EM JANEIRO.

ESTAMOS EM CONDIÇÕES DE INFORMAR - SALVO ALGUMA SURPRESA QUE PREPARAMOS, ENTRETANTO - QUE OS NOSSOS PRÓXIMOS CONVIDADOS SERÃO:

QUARTA 4 DE DEZEMBRO - JERÓNIMO SOUSA, Secretário Geral do PCP

QUARTA 11 DE DEZEMBRO - RUI RIO, ex-presidente da Câmara Municipal do Porto.

Obrigado.



publicado por animo às 12:07
link do post | comentar | favorito
|

WEBANGELHO SEGUNDO FREI BENTO DOMINGUES

Frei Bento Domingues

In Público

A FAMÍLIA: A FELICIDADE CONTROVERSA?

 

1. Não há só um modelo de família. Ao longo dos tempos e segundo a diversidade de povos e culturas, os historiadores e os antropólogos podem testemunhar tanto a pluralidade das suas formas como a sua presença constante.

Mesmo hoje, em Portugal, apesar da maior fragilização dos laços conjugais, o aumento dos divórcios, a diminuição dos casamentos e dos filhos, a família apresenta-se, do ponto de vista da realização e da estabilidade emocional, a grande referência. Mais de 70% dos portugueses continua a associar a felicidade à vida em casal. O fim de uma relação não põe em causa esse ideal, embora seja vivido em novos cenários (1). É sugestiva a descrição que alguns sociólogos espanhóis fizeram do ciclo vital dos nascidos no ano 2000. Antigamente, o ciclo vital constava de três ou quatro etapas, agora, de modo mais complexo e diluído, pode estender-se a nove.

A experiência vital começa, para muitas crianças, com o cenário, feliz e curto, de um lar normal, de um filho pequeno com os seus pais. A esta breve etapa, segue-se outra, um pouco mais longa: esta mesma criança vivendo só com a mãe, separada ou divorciada. Uma terceira experiência é, talvez, a de um adolescente vivendo num novo lar com a sua mãe recasada e com uma figura menos atractiva, a de um pai adoptivo ou padrasto. Chegado à maioridade, esse jovem unir-se-á à sua noiva, vivendo com ela em união de facto. Num quinto ciclo vital, a maioria destes jovens acaba por se casar com o seu par e, depois de poucos anos, entram na sexta etapa, a dos divorciados. Irão passar por um tempo de solidão, mas voltam a casar. Chegados a esta etapa de maturidade, ficarão viúvos e irão para um lar ou residência de terceira idade, onde, esporadicamente, o filho ou a filha ou o neto o irão visitar (2).

2. Perante esta situação – com esta ou outras configurações – a “Pastoral da Família” pode ser tentada por um regresso ao passado que já deu quase tudo o que tinha a dar e se tornou inabitável. O cristianismo, aliás, não é a nostalgia de um paraíso perdido, mas a saudade de um futuro de transfiguração. É verdade que muitos pais, ao não desejarem reproduzir um mundo em que nem sempre foram felizes, não encontraram as alternativas que imaginavam. Por outro lado, certa educação liberal, preocupada em não impingir valores convencionais, deixou os jovens abandonados a si mesmos ou como se diz, com desencanto, obrigados a não acreditar em nada.

A Pastoral da Família não se destina a restaurar uma herança em ruinas e algo idealizada, por isso é ainda mais necessária e urgente. Deve ser mais exigente. Além do esforço para estabelecer laços estimulantes entre gerações, tem de saber escutar, acompanhar, dialogar com todas estas novas formas de viver em casal, propondo a descoberta existencial da hierarquia de valores, sem tentar impor o que só pode ser escolhido.

A pergunta a que temos de responder, por obras e palavras, é esta: que podemos nós, Igreja – de solteiros e casados, de casados e recasados – aprender com estas novas experiências onde o bem e o mal, o santo e o perverso, os êxitos e os fracassos humanos andam sempre mais ou menos misturados? Que caminhos abrem estas realidades a outras formas de viver o Evangelho?

Os casais cristãos – os que não se julguem o casal-modelo – em vez de guardar a sua experiência num cofre forte familiar, como diz o Papa, podem estimular as novas gerações a desenvolver uma espiritualidade que não tem necessariamente de reproduzir as mais recomendadas no mercado religioso do passado e no mundo clerical. Alguém dizia que as homilias dos padres, nos casamentos, oscilavam entre as tentativas apoetadas e as apatetadas, tendendo todas para um moralismo sem ética praticável.

As apresentações da doutrina católica da família tendem a mostrar um itinerário que arranca do Antigo Testamento e vem até aos nossos dias como uma auto-estrada, com raros e pequenos desvios. A ocultação das sombras e do escuro não favorece a verdade.

O papa Francisco sabe que as questões da contracepção, da coabitação, do divórcio, das novas uniões, das uniões entre pessoas do mesmo sexo, a adopção de novas tecnologias de fertilidade, etc., apresentam dificuldades que não podem ser resolvidas de forma abstracta, com mais ou menos tolerância ou intolerância. A consulta que desencadeou é mais do que um inquérito. Sendo um método de dinamização de toda a Igreja, não se espere que fique tudo resolvido no Sínodo.

3. Jesus Cristo nasceu e cresceu numa família de cultura e religião judaicas. As narrativas do Novo Testamento não ocultam o longo contencioso que viveu com esta instituição. A fonte das suas reacções mal- humoradas acabam por ser o seu maior elogio. O desígnio de Jesus era lançar a corrente do mundo família: reunir todos os filhos de Deus dispersos. Não aguentava que a sua família o quisesse prender ao modelo que ele queria superar. Não suportava, por outro lado, que o direito mosaico fosse invocado para abandonar a mulher aos caprichos do marido (3).

A família será sempre uma feliz controvérsia.

1) Cf. Família em Portugal Social de A a Z, p 76, 2013

 

2) Cf. Fernando Vela López (or.) Atentos a los giros del mundo, San Esteban, Salamanca 2006 p185

3) Cf. Jo 11, 52; Mc 3, 20 e 31-39; Mt 19 1-12



publicado por animo às 12:01
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 23 de Novembro de 2013
WEBANGELHO SEGUNDO ANSELMO BORGES

Pe Anselmmo Borges

In DN

AS PERGUNTAS DO PAPA FRANCISCO (I)

 

É normal, antes de cada Sínodo dos Bispos, auscultar os diferentes episcopados sobre a problemática a debater. Mas, desta vez, foi diferente, de tal modo que os media mundiais deram e dão imenso relevo ao tema. Que se passa?

Por um lado, o Papa Francisco não dirige o seu inquérito apenas aos cardeais, bispos, padres. Ele quer que todos sejam ouvidos, que o inquérito chegue às bases, pois, como constantemente acentua, a Igreja somos nós todos. Ele tem uma visão da Igreja enquanto um Nós, Povo de Deus. Por isso, não mantém uma concepção vertical de governo da Igreja, mas sinodal (a palavra é rica, quando se atende ao étimo grego: reunião, caminhar juntos, fazer juntos o caminho). No fim, será ele, em última instância, a decidir, mas sinodalmente, não separado dos outros bispos nem dos fiéis.

Por outro lado, sendo a próxima Assembleia do Sínodo sobre a família, Francisco quer saber o que pensam os católicos sobre esse tema fundamental e decisivo, sem ocultar as questões, mesmo que difíceis e fracturantes.

Assim, quer saber o que é que os católicos sabem da concepção da Igreja sobre a família e se essa doutrina é aceite. Que é que se pensa sobre o fundamento natural da família? Aceita-se o conceito de lei natural com relação à união entre o homem e a mulher? Como enfrentar os desafios que se colocam no caso de não praticantes ou não crentes pedirem o matrimónio? Que caminhos pastorais se tem seguido na preparação dos casamentos, no sentido da oração em família e transmissão da fé às novas gerações pelas famílias, e em relação a casais em crise?

Francisco não ignora situações matrimoniais difíceis. Por exemplo, a convivência experimental, uniões livres de facto. Como vivem os baptizados as suas irregularidades? São conscientes delas, manifestam indiferença, vivem com sofrimento a impossibilidade de receber os sacramentos? Quantas são as pessoas divorciadas e recasadas e que pedem os sacramentos da eucaristia e da reconciliação? A simplificação do processo de declaração de nulidade do vínculo matrimonial poderia ajudar nestes casos? Que pastoral existe para estas situações?

O Papa também quer saber se no respectivo país há uma lei civil que reconhece as uniões de pessoas do mesmo sexo equiparadas ao casamento. Que pastoral para as pessoas que escolheram viver segundo este tipo de uniões? Se adoptaram crianças, como comportar-se em ordem à transmissão da fé? Em geral: no quadro de situações matrimoniais irregulares, com que atitude se dirigem os pais à Igreja no sentido da educação religiosa dos filhos e que prática sacramental existe nestes casos?

Quanto à abertura dos esposos à vida: que conhecimento têm da doutrina oficial da Igreja sobre a paternidade responsável e que avaliação fazem dos diferentes métodos de regulação dos nascimentos? Que métodos naturais promove a Igreja? Que consequências tem a prática dos anticonceptivos na participação dos sacramentos, nomeadamente, na eucaristia? Como favorecer o aumento dos nascimentos? A família é um lugar privilegiado para o encontro com Cristo?

A pergunta, agora, é como procederão as Conferências Episcopais para que todos os interessados possam participar. Por exemplo, entre nós, teoricamente há pelo menos cinco milhões de católicos que poderão responder. Quem e como vai fazê-lo, para que haja na Igreja uma tomada de consciência real do que se passa?

Só dentro de dois anos saberemos as resoluções que Francisco tomará. Mas não é impossível antecipar linhas de orientação - no próximo sábado, apresentarei as minhas respostas pessoais. 1. Evidentemente, a Igreja continuará a afirmar o seu ideal de matrimónio: uma união definitiva e fiel de amor entre um homem e uma mulher, aberta à procriação. 2. Nenhuma criança será discriminada, seja qual for a sua origem. 3. Alguma abertura aos anticonceptivos, com a revisão da Humanae Vitae. 4. Admissão dos recasados, dentro de certas regras, à comunhão. 5. Maior compreensão e acolhimento dos homossexuais, mas sem admissão institucional ao casamento e à adopção.

(Por decisão pessoal, o autor do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico)

 



publicado por animo às 10:46
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

MINISTRO CAPOULAS SANTOS ...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

CARDIGOS, AS CEREJAS E O ...

trip - ir a mundos onde n...

´WEBANGELHO SEGUNDO ANSEL...

ANDRÉS QUEIRUGA EM PORTUG...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

ANDRÉS TORRES QUEIRUGA EM...

PE ANSELMO BORGES SOMA E ...

SEARAS ESCOLA DE VIDA

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

SIM AO CREDO DOS VALORES

SUBSTITUIMOS O CREDO DOS ...

HOJE, TODOS À GULBENKIAN ...

QUARENTA E TRÊS . FAZER O...

PE ANSELMO AO ATAQUE NA D...

PE ANSELMO BORGES AO ATAQ...

MÁSCARAS, INFERNO E OS BU...

ÂNIMO . TRINTA E OITO ANO...

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

tags

todas as tags

links









































































































































































































subscrever feeds