Sábado, 26 de Abril de 2014
WEBANGELHO SEGUNDO ANSELMO BORGES

Pe Anselmo Borges

In DN

 

 40 ANOS DEPOIS

 

1- No dia 25 de Abril de 1974, o telefone tocou, estava eu ainda a dormir: "O que tu querias está a acontecer." Uma jovem amiga a dizer-me que estava na rua um golpe de Estado. Como quase toda a gente, fiquei preso às notícias, escassas.

Depois, é o que se sabe. O povo veio para a rua. A alegria explodiu. Os acontecimentos sucediam-se em vertigem. Não se dormia. Será que alguma vez se viveu tão apressada e intensamente como durante aqueles anos de revolução? É mesmo: o tempo não é todo igual. Aqueles foram tempos sobre os quais F. Alberoni teorizou, com o seu conceito de "estado nascente".

O problema foi passar do "estado nascente" à "institucionalização" da democracia, pois não se pode ficar eternamente no entusiasmo eufórico do novo nascimento. Aí, havia imensos interesses contraditórios, e então viveram-se várias revoluções ao mesmo tempo, para recuperar o tempo perdido em ditadura e atraso: uma revolução burguesa, uma revolução soviética, Maio de 68, a descolonização. Esteve-se à beira de uma nova ditadura.

2- 40 anos depois, só por cegueira ou cinismo se não reconhecerá que Portugal está incomparavelmente melhor. Reconquistámos a liberdade, e a liberdade é o que define o ser humano: onde houver homem, tem de haver liberdade, a liberdade é a imagem de Deus no homem. Vivemos em democracia. Houve progresso material. Erradicou-se o analfabetismo e multiplicou-se o acesso ao ensino superior. O desenvolvimento social é inegável: salário mínimo, pensão mínima, Serviço Nacional de Saúde. Mais consciência de cidadania.

3- Mas os portugueses andam descontentes: 83% manifestam-se insatisfeitos ou pouco satisfeitos com o presente estado da democracia. De facto, muita coisa correu mal. Será que temos dificuldade em governarmo-nos a nós próprios? Como é que se explica, por exemplo, que nestes 40 anos tenha havido três intervenções do FMI e tenhamos estado à beira da bancarrota? Fomos incapazes de dar o salto para um país moderno e estável. Tivemos de regressar à emigração, e, desta vez, são médicos, enfermeiros, engenheiros, arquitectos... e jovens... Está aí um tsunami demográfico. Cava-se cada vez mais fundo o abismo entre os muito ricos e os pobres. Apesar de vários sinais felizmente positivos, a austeridade é para continuar. A Justiça arrasta-se, não é célere e dá a impressão de ser selectiva, a favor dos ricos. O mais triste: a desconfiança e a inesperança da maior parte dos portugueses.

4- O que aconteceu? Imensa incompetência dos políticos, passeando depois uma inocência que não têm - em Portugal, ninguém é responsável por nada. Partidos e suas cumplicidades com interesses corporativos - Filomena Martins foi certeira: "São cada vez menos as figuras de destaque disponíveis para se dedicarem à causa pública por dever de cidadania. E isso tem levado à degradação da qualidade política e ao seu descrédito. Porque não se ganha muito dinheiro na política. Ganha-se depois dela. Com o poder e as relações que se conquistaram." Multiplicação acéfala de instituições de ensino superior. Esbanjamento irresponsável de dinheiros públicos: pense-se no número de estádios de futebol, nos quilómetros desnecessários de auto-estradas. Privilégios e corrupção, fuga ao fisco. A Banca a fazer "engolir" cartões de crédito e o consumismo insensato. Aquela mentalidade de encosto ao Estado, de subsídio-dependência, de que só há direitos e não há deveres.

5- E agora? É preciso parar para pensar e reflectir sobre o essencial. Precisamos de mais e melhor democracia. Temos de assumir todos mais responsabilidade na coisa pública. Precisamos de um consenso mínimo entre os partidos sobre temas fundamentais, como a reforma do Estado, a justiça social, o investimento reprodutivo para criar riqueza e emprego. Precisamos de insubordinação frente à plutocracia e de assegurar a dignidade de todos. Precisamos de erguer o futuro pela educação. Se, por insanidade do poder político, os sacrifícios entretanto feitos forem deitados a perder, é preciso preparar-se para o pior.

Por decisão pessoal, o autor do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico

 



publicado por animo às 02:57
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



pesquisar
 
Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

DA ARTE E DOS ESPAÇOS INE...

OBRIGADO, MANUEL

ANTONIO COLAÇO NO "VOCÊ N...

PE ANSELMO BORGES NOS ANI...

ANA SÁ LOPES NOS AAAANIMA...

ANA SÁ LOPES NOS ANIMADOS...

O OUTRO LADO DO AAANIMADO...

LISBOAS

CHEF PEDRO HONÓRIO OU AS ...

BALANÇO FINAL . JOAQUIM L...

REGRESSARAM OS AAANIMADOS...

IN MEMORIAM ANTÓNIO ALMEI...

PE ANSELMO BORGES NÃO TE...

MINISTRO CAPOULAS SANTOS ...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

CARDIGOS, AS CEREJAS E O ...

trip - ir a mundos onde n...

´WEBANGELHO SEGUNDO ANSEL...

ANDRÉS QUEIRUGA EM PORTUG...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

arquivos

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Outubro 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

tags

todas as tags

links









































































































































































































subscrever feeds