Segunda-feira, 3 de Agosto de 2015
WEBANGELHO SEGUNDO FREI BENTO DOMINGUES

751166.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LIVROS PARA FÉRIAS
Frei Bento Domingues

In Público
28 Julho

1. Durante vários anos, ao interromper estas crónicas durante o mês de Agosto, costumava destacar alguns livros para férias. Dizem-me que já não vale a pena. Hoje, quem não for velho e desajeitado como eu, dispõe dos livros que quiser nos seus iPhones ou iPads, ligados a uma nuvem, limpa, vadia e sempre disponível.

Acerca das férias, a Igreja distribuiu, na Missa do passado Domingo, um texto curioso, tirado do Evangelho de S. Marcos. Por razões óbvias, Jesus de Nazaré resolveu partir para férias com os discípulos: ”vinde para um lugar deserto e descansai um pouco sozinhos. Com efeito, os que chegavam e os que partiam eram tantos, que não tinham tempo nem para comer” [1].  

Fugiram de barco, mas não adiantou nada. Tinham sido vistos. Quando desembarcaram, Jesus deparou com uma multidão que o procurava e, diz o texto, ficou cheio de compaixão, eram como ovelhas sem pastor. Como poderia ele ficar indiferente perante aqueles que andavam “cansados e oprimidos” [2]?

“Começou logo a ensinar-lhes muitas coisas”. Entusiasmaram-se e perderam a noção do tempo. Os discípulos, sempre desconfiados das estravagâncias do Mestre, foram-lhe dizer já era muito tarde e que despedisse aquela gente para que pudesse ir aos campos e às aldeias mais próximas arranjar algo para comer.

Resposta pronta de Jesus: “Dai-lhes vós de comer”. Fizeram contas e não havia dinheiro para ir comprar pão para aquela multidão! Jesus insiste: ide ver quantos pães tendes. Tinham cinco e dois peixes!

 Foram para um lugar relvado, sentaram-se no chão, em grupos de cem e cinquenta pessoas. Jesus pegou naqueles cinco pães e dois peixes e, de olhos no céu, proferiu uma bênção, partiu os pães e deu-os aos discípulos para os distribuírem. Comeram todos quanto quiseram e ainda sobraram doze cestos de pedaços de pão e de peixes.

2. Depois de uma leitura destas, o padre corre o risco de ficar a gaguejar uma homilia inconsequente, pois o Mestre não deixou nenhum manual de instruções para quando fosse preciso outra intervenção de emergência.

Nos Evangelhos, o milagre não é uma solução. É apenas um sinal contra a resignação e o fatalismo, um apelo à imaginação criadora que não dispensa os caminhos das ciências e da inovação técnica. Situa-se na linguagem da mobilização para um objectivo que parece impossível de alcançar. Não se trata de algo exclusivo da religião. A recusa de um presente insustentável e a luta por um futuro que parece irrealizável é a mola da consciência humana, quando não se deixa anestesiar pelo conformismo da propaganda.

Isto é só meia verdade ou uma escapatória à dificuldade na leitura do texto. Se fosse assim, não haveria razão nenhuma para lhe dar tanto espaço. Mas não será da própria essência do Evangelho o sentido da partilha, da solidariedade, do dom? Enquanto houver pessoas que se comovem com a alegria e a tristeza que as rodeiam - que nos rodeiam – não podemos desesperar. Há salvação.

Eduardo Vera-Cruz Pinto, no seu recente manifesto sobre o futuro da Justiça em Portugal, não se perde em reformas no sistema existente. Aposta num processo radical de mudança das estruturas e do modelo institucional vigente [3].

Recomendo este contributo para um debate imprescindível na sociedade portuguesa. Vale para as férias e para depois das férias. Este género de “milagres” exige uma profunda conversão ao primado incontornável das pessoas concretas e do bem comum: “A construção política de uma comunidade de pessoas implica um combate eficaz à pobreza e esse combate passa pela luta por uma sociedade mais igual e mais justa, isto é, por uma sociedade que combata as causas da pobreza. Esse combate precisa de um sistema de justiça diferente daquele que temos hoje”.

“O sistema em que vivemos produziu estas leis, estas ideias dirigentes, estas ofensas à pessoa. Veja-se por exemplo, que o Direito considera o trabalho uma dimensão essencial da personalidade da pessoa humana. Mas o sistema político vigente e aceite, obediente à troika e submetido a banqueiros e a jornalistas, criou biliões de desempregados, tratando-os como “mercadoria descartável”.

3. A linguagem do Papa Francisco vai-se difundindo. No entanto, dentro e fora da Igreja, ainda há muitos obstáculos a vencer, por inércia, por indiferença, por oposição declarada e, sobretudo, disfarçada. Daí que a grande leitura de férias poderá ser a meditação d’ A Alegria do Evangelho(EG)  e do Louvado Sejas (Laudato Si), que o Papa Francisco nos ofereceu.

 



publicado por animo às 00:50
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

DA ARTE E DOS ESPAÇOS INE...

OBRIGADO, MANUEL

ANTONIO COLAÇO NO "VOCÊ N...

PE ANSELMO BORGES NOS ANI...

ANA SÁ LOPES NOS AAAANIMA...

ANA SÁ LOPES NOS ANIMADOS...

O OUTRO LADO DO AAANIMADO...

LISBOAS

CHEF PEDRO HONÓRIO OU AS ...

BALANÇO FINAL . JOAQUIM L...

REGRESSARAM OS AAANIMADOS...

IN MEMORIAM ANTÓNIO ALMEI...

PE ANSELMO BORGES NÃO TE...

MINISTRO CAPOULAS SANTOS ...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

CARDIGOS, AS CEREJAS E O ...

trip - ir a mundos onde n...

´WEBANGELHO SEGUNDO ANSEL...

ANDRÉS QUEIRUGA EM PORTUG...

WEBANGELHO SEGUNDO ANSELM...

arquivos

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Outubro 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

tags

todas as tags

links









































































































































































































subscrever feeds